7 pensamentos sobre “Rápido comentário

  1. Mansueto, gostei muito do vídeo, não apenas pelo conteúdo mas pela forma. Nessa vida corrida que todos temos, penso que o formato ajuda significativamente, pois agiliza. Então fica aqui meu elogio e, se puder usar mais vezes desse recurso do vídeo. acredito que possa ser interessante.

  2. Mansueto, legal! aprovado o formato. Com relação as dívidas dos Estado eu tenho tendencia a ser mais flexível. Esse acordo foi costurado depois de muitas discussões. Não creio que a demanda de SC vai vingará. Eu sei que você não vai gostar, mas eu acredito que se a União assumisse a dívida soberana(externa) dos Estados que gira em torno dos 32 bilhões de dólares, baixasse o correspondente das reservas internacionais e quitasse o montante mataria dois coelhos com uma só cajadada: Aliviaria o cofre dos Estados e quedaria a dívida bruta em cerca de 3% este ano. O que achas?

  3. Boa iniciativa para o formato comunicado

    Boa presença, dicção, didática e clareza.

    No conteúdo

    Faltou informar o número das duas PLs, a dos municipios e gasto com pessoal e a do alongamento divida.

    Essa história das PLs é muito mais preocupante do que a liminar do Fachin para Santa Catarina. Estão na iminência de serem votadas. Se aprovadas, os efeitos dessas medidas vão aparecer mais rápido.

    A vitória de SC foi conseguir uma cautelar para pagar segundo um critério de cobrança de juros na dívida do Estado. A cautelar garante que SC pague o que os técnicos e políticos do Estado dizem ser o certo pagar e TORNA NULO UM CONTRATO assinado entre o SC e o executivo federal.

    SC vai ganhar muito tempo com isso rolando no STF. Os ministros vão ter de julgar o mérito da liminar e, portanto, decidir sobre assunto extremamente técnico. E juízes decidem depois de aplicar o preceito jurídico quid facti/quid juris. Primeiro os juízes vão aos fatos e só depois ao direito e julgamento.

    Enfim, terão de ser assessorados por bons economistas que entendam bastante de contas públicas.

    Fachin não devia ter concedido a cautelar que quebrou o contrato com a União. Ministro do STF entende de leis. De economia, sabe tanto ou menos que eu, que sou não-economista e leitor do blog.

    Será que vai dar certo para todos os Estados interessados imitar SC, e tentar ganhar uma liminar com uma cautelar que quebra o contrato? Penso que não.

  4. É uma sandice flexibiliza a lei de responsabilidade fiscal.
    Já puniu tantos prefeitos mesmo assim outros não tiveram nenhuma responsabilidade com o dinheiro público.
    Que país!!!

Os comentários estão desativados.