A inovação do Banco do Brasil (BB): Caminhão = Porsche?.

O Banco do Brasil (BB) dessa vez conseguiu inovar. Matéria do jornal Folha da São Paulo (clique aqui) mostra que o banco emprestou R$ 3 milhões a uma taxa de juros de 4% ao ano para uma empresária, Val Marchiori, amiga do ex-presidente do banco e atual presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, comprar caminhões e parte do dinheiro foi utilizado pela empresária para comprar um Porsche Cayenne S 2014 branco, avaliado em R$ 400 mil.

Esse empréstimo já deu manchete nos jornais porque a empresária (ou socialite), Val Marchiori, conseguiu o empréstimo apesar de restrição de crédito por não ter pago empréstimo anterior ao BB e também por não apresentar capacidade financeira para obter o financiamento, segundo reportagem anterior da própria Folha.

O que não fica claro na matéria é se as condições originais do empréstimo para a compra de caminhões – juros nominais de 4% ao ano de uma linha do BNDES- valem também para a aquisição do Porsche Cayenne S 2014. Se sim, o Banco do Brasil usou subsídios, ou seja, nossos impostos, para financiar a compra de um carro de passei de luxo. Isso seria um absurdo em um país rico e mais ainda em um país de renda média.

Como é que os funcionários do Banco do Brasil e o jurídico do Banco do Brasil permitiram isso? Por que o tão atuante sindicato dos bancários do BB não fez uma denuncia? Essa é mais uma história muito mal contada que precisa de um esclarecimento do Banco do Brasil. Segue abaixo a foto de um caminhão lindo!

Porsche-Cayenne-Turbo-S-LA-Auto-Show

7 pensamentos sobre “A inovação do Banco do Brasil (BB): Caminhão = Porsche?.

  1. Fui funcionário do BB entre 1959 e 1972. Nunca houve denúncia por parte dos funcionários e sindicato dos favorecimentos que, via de regra, não concedidos pelas Agências de jurisdição do beneficiado. Eram todas pela Direção Geral, quase equivalente ao sigilo do BNDES. Estado NÃO deve ter banco,petroleira e outros negócios. Vira tudo maracutaia.

  2. Mansueto: o desvio na aplicação de financiamento oficial (com subsídio), é crime tipificado no art.20 da Lei nº7.492/92

  3. Vamos por parte:
    1) ao que tudo indica a Direção do Sindicato dos bancários do BB, é toda vermelha. Assim, é previsível admitir que nenhum de seus membros fará qualquer tipo de denúncia;
    2) seguramente, pode-se inferir que a relação entre esta “Cliente VIP” e o citado ex-presidente do BB, deve extrapolar uma simples relação comercial e/ou de amizade;
    3) este tipo de transação mostra a promiscuidade, aliás muito comum no Brasil, que existe aqueles que detém algum tipo de poder como foi o caso do até então Presidente do BB, Senhor Aldemir Bendine e a socialite, Senhora Val Marchiori;
    4) o que esperar do Senhor Aldemir Bendime, agora como Presidente da Petrobrás, se como presidente do BB realizou operações ilegais?
    5) O Brasil, lamentavelmente, é o país das maracutaias, onde o público e o privado se locupletam.

    A PETROBRÁS TEM QUE SER PRIVATIZADA.

Os comentários estão desativados.