Estagnação do Salário Mínimo Real em 2016 e 2017

O senador Aécio Neves escreveu hoje um interessante artigo na Folha de São Paulo no qual alerta sobre a correção real “zero” do salário mínimo ao longo dos próximos dois anos – clique aqui para ler o artigo o Dia do Trabalho.

O salário mínimo é uma das variáveis mais importantes no debate econômico. No primeiro governo Lula, por exemplo, houve um grande debate entre a equipe econômica e defensores do salário mínimo como se pode ver no capitulo sobre esse assunto do livro do jornalista Bernando Kucinski, Cartas a Lula (2014).

Conforme escreve o jornalista, em 2004, setores do PT queriam que Lula definisse um salário mínimo de R$ 300 contra a proposta de R$ 260 da sua equipe econômica. Prevaleceu a vontade da equipe econômica e salário mínimo, em maio de 2004, foi definido como R$ 260,00, que representou um aumento real de apenas 1,2%.

Mas, em maio de 2005, com a situação macroeconômica já bem melhor, o presidente Lula aumentou o valor do salário mínimo de R$ 260 para o R$ 300, um crescimento nominal de 15,4%, que descontada a inflação de 6,6%, representou uma correção real do salário mínimo de 8,2% em um único ano!

Como se pode ver no gráfico abaixo, a recuperação real do salário mínimo vem desde o governo FHC e, no ciclo de 16 anos de governo do presidente FHC e LULA, o salário mínimo real teve um crescimento de 127% com queda do desemprego, por motivos não diretamente ligados a política do salário mínimo. Mas agora a realidade é outra.

Crescimento Real do Salário Mínimo por Mandato Presidencial – 1995-2018 – %

Untitled

Pela regra de reajuste atual, o crescimento real do salário mínimo nos próximos dois anos será de “zero” = crescimento do PIB de 2014 = 0,1% e crescimento do PIB de 2015 = “0” (o crescimento real do PIB será negativo). Se as projeções de mercado estiverem corretas, o crescimento real do PIB em 2016 será de 1% e, assim, o aumento real do salário mínimo ao longo do segundo governo Dilma será de:

2015 = 2,5% (crescimento real do PIB de 2013)

2016 = 0,1% (crescimento real do PIB de 2014)

2017 = 0 % (crescimento do PIB de 2015 negativo)

2018 = 1% (crescimento real do PIB de 2016)

Isso significa um crescimento médio real do sal. mínimo de 2015 a 2018 de 0,89% ao ano, menos de 1% ao ano! E um crescimento acumulado em quatro anos de apenas 3,6%.

Se há quatro ou cinco anos atrás alguém tivesse proposto um crescimento real tão baixo do salário mínimo seria classificado como “louco” ou “neoliberal FDP”. Mas mesmo sem ninguém propor redução da correção do salário mínimo, a economia real  nos levou a esse cenário ruim de crescimento para o salário mínimo no segundo governo Dilma. Isso com certeza deixará os trabalhadores e aposentados bastante irritados. Como diz o senador Aécio Neves: “não houve o que comemorar no dia do trabalho. O governo estragou a festa”.

2 pensamentos sobre “Estagnação do Salário Mínimo Real em 2016 e 2017

  1. É uma situação estranha. O governo não pode falar mais falar o que quer fazer porque não pode. E se faz alguma coisa, não deve, dado as necessidades do ajuste fiscal que tenta “fazer o Estado caber no PIB”. E isso está causando uma profusão de análises de governistas que dão a entender ou fazer crer, ser a política implementada pelo Min. da Fazenda, do Governo e que foi gestada pelas teses do seu partido, e não o contrário. algo não bate nessa interpretação, por ser exatamente o contrário do que está ocorrendo.

Os comentários estão desativados.