Construção em universidades: o que é investimento e o que é desperdício?

Se há algo que aumentou muito no primeiro governo Dilma foram os investimentos em educação em escolas técnicas, escolas básicas e creches em convênios com municípios e estados, e universidades. Como de pode ver pelo gráfico abaixo, o investimento em educação nos últimos três anos (2012-2014) em valores reais praticamente triplicou em relação à média 2007-2009.

Investimento do Ministério da Educação – 2007-2014 – R$ bilhões de 2014

INV2

Mas uma matéria hoje no jornal Bom Dia Brasil – clique aqui– mostrou que o Governo Federal gastou bilhões de reais em obras nas universidades que não ficaram prontas. Segundo a matéria, algumas das ações do Reuni terminaram há mais de dois anos e muitas obras ainda estão inacabadas e paradas .

De acordo com a matéria do Bom Dia Brasil: “Em uma amostra de 72 obras fiscalizadas, 37% não cumpriram nem o cronograma físico nem o financeiro. A Controladoria advertiu que esses atrasos podem acarretar prejuízos. Também apontou fragilidade na adoção de medidas para garantir a qualidade das obras, já que muitas foram concluídas, mas não puderam ser recebidas definitivamente e liberadas para uso por conta de alguma falha no processo.”

Em resumo, nem todo o magnifico crescimento do investimento mostrado acima pela execução financeira do SIAFI se tornou efetivo.

6 pensamentos sobre “Construção em universidades: o que é investimento e o que é desperdício?

  1. Sou testemunha dessa situaçãon estudante de pós graduação da UFRGS. Um novo edifício que foi concebido com recursos do Reuni está interditado, meses após sua inauguração, devido ao péssimo projeto e péssima execução!

    Enquanto todo este dinheiro é jogado fora, os estudantes de pós estão a mais de 2 anos sem reajuste de bolsas, com inflação acumulada na casa dos dois dígitos….

    Aqui vai o link:
    http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2015/01/evacuado-predio-da-ufrgs-fica-fechado-por-quatro-horas-apos-problema-em-escada-4690133.html

  2. A matéria mostra que os recursos de investimentos na área não são fiscalizados ou fazem vistas grossas pois como explicar esse crescimento de verbas para área física e com obras atrasadas. A educação precisa de melhor gestão dos recursos existentes, O que faz o ministério da área? Que faz o ministro para fiscalizar a aplicação dos recursos? Se forem conferir irão encontrar corrupção também nessa área.

  3. É impressionante a irresponsabilidade dos gestores públicos com a péssima aplicação de recursos da população. Se o Ministério da Educação não tem competência e capacidade de cumprir os cronogramas de execução das obras, é melhor não iniciá-las. Quando não se cumpre o cronograma de execução, os custos das obras ficam bem acima do valor inicialmente previsto. Não conheço uma obra do setor público que tenha ficado dentro do valor previsto, bem como concluída no período estabelecido. Como atingir a meta do Governo Dilma para estes quatro próximos anos, qual seja: “BRASIL PÁTRIA EDUCADORA”, com uma esculhambação desta.
    O BRASIL PRECISA URGENTEMENTE SER REINVENTADO.

Os comentários estão desativados.