Meu petróleo querido! Mas e o $$$?

Nesta semana, o governo deu provas  do seu planejamento aquém do desejável. No início da semana, a presidente Dilma falou que não iria rever o regime de partilha e as regras de exploração do pré-sal:

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (6), ao dar posse ao novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, que o que está em disputa hoje no Brasil é a forma de exploração do patrimônio do pré-sal, que representa centenas de bilhões de reais do Estado brasileiro e que já estão assegurados para a Educação e para a Saúde do País”.

Mas no meio da semana, no Congresso, o Ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, falou que as regras de exploração do Pré Sal poderiam ser “revisitadas”, inclusive, a exigência para que a Petrobras participe com o mínimo de 30% dos campos no Pré Sal.

Devemos acreditar na presidente ou no seu ministro? Não sei. Vamos esperar que eles se entendam para termos uma maior clareza do que acontecerá. Mas por enquanto, apesar do discurso nacionalista que o Brasil hoje tira 700 mil barris por dia do Pré Sal e que o dinheiro será usado para educação e saúde, a realidade é que, com a queda do preço do petróleo, o retorno para o governo federal, estados e municípios com royalties e participação especial desabou nesse primeiro trimestre do ano. Nada mais nada menos que uma queda real de R$ 3,5 bilhões ou de 35%!

No mais, especialistas do setor de petróleo dizem que o com barril de petróleo a US$ 60, parte do Pré Sal não é economicamente viável  para exploração e, logo, não teremos a tão sonhada fartura para financiar gastos em educação. Assim, não está assegurado os recursos para educação e saúde no Brasil e, no momento, o setor púbico terá que lidar com uma forte queda da receita com royalties e participação especial.

Royalties e Participação Especial – Setor de Petróleo e Gás – 1o TRIM de 2013, 2014 e 2015 – R$ milhões de março de 2015

royalties

OBS: A queda real não foi de 50%, mas de “apenas” 35% e o eixo dos valores na vertical começa no “zero”.

Preço do Barril de Petróleo em US$ – 2014-2015 (abril)

Petroleo

Fonte: Banco Central do Brasil.

4 pensamentos sobre “Meu petróleo querido! Mas e o $$$?

  1. Uma crítica construtiva: gráfico “cortado” não dá.

    Esteticamente fica melhor, mas a informação visual é bastante confusa. Ficamos com a impressão de que a receita caiu mais de 50%. Tudo bem, eu li o texto e sei que não é, mas e quem não leu ou não prestou atenção?

    E se alguém copia esse gráfico e cola por aí, em redes sociais, citando você como fonte? Pode dar a impressão de viés, de má intenção, o que certamente não é o caso.

    Desculpe a crítica, que escrita assim toma um tom mais bélico do que realmente é.

    Abraço, Marcos.

    • Mas o texto fala da queda real de 35%. Seria melhor eu não colocar gráficos? bom, vou colocar o eixo começado do zero. Mas quando as pessoas querem deturpar o que você fala, não adianta.

  2. Desculpa a pergunta: O Brasil não tinha um Fundo Soberano? Aquele que era cópia da Noruega ( Uau! Brasil Ostentação!).
    Cadê?
    Em 2013, conforme relatório de desempenho ele teve uma rentabilidade de 9,5%. Sendo que 80 % do patrimônio do fundo está aplicado em uma única conta, que rende 98% da SELIC.
    Ainda é preciso dizer que o fundo, conforme regulamento, precisa dar rentabilidade mínima de 5%. Aqui reside outro problema: O fundo capta recursos pagando juros de Selic que está em 12,75%.e paga 5%.
    A SELIC vai aumentar bem mais ainda e a remuneração será menos do que a poupança

    • Interessante dizer que o FSB ainda é dono de 2,5 bilhões de reais em ações do BB. Fico aqui refletindo uma coisa. O pré-sal já era. A cotação do petróleo despencou. Olhando para essas duas variáveis é razoável supor que a rentabilidade do FSB sofrerá uma redução sendo difícil mensurar nesse momento de quanto será essa queda.

Os comentários estão desativados.