O PT, o ódio e a economia.

Como um partido politico que propaga o ódio quer dialogar? Confesso que fico triste quando o debate politico toma a forma de uma discussão passional e deixa der ser baseado em teses e argumentos.

Alertado por um amigo fui ler a Resolução Política dos Partidos dos Trabalhadores da ultima segunda feira (ler aqui). Entre os absurdos da Resolução Política destaco um trecho:

“A oposição, encabeçada por Aécio Neves, além de representar o retrocesso neoliberal, incorreu nas piores práticas políticas: o machismo, o racismo, o preconceito, o ódio, a intolerância, a nostalgia da ditadura militar”.

Apenas alguém ou um grupo mal intencionado que quer “aniquilar” a oposição escreve algo tão estúpido. Quem de fato tem uma grande saudade da política econômica ditadura militar é o governo com a sua política de intervenção setorial que é a mesma política do General Geisel.

Apesar de vencer a eleição, o PT aproveita sua primeira resolução depois da vitória para espalhar o ódio e mentiras sobre a oposição. Por isso que o senador Aloysio Nunes falou que:

“Todo mundo percebia as insinuações que ela (presidente) fazia nos debates e os coros nos debates sociais, dizendo que o Aécio batia em mulheres, era drogado. Quem faz isso não tem autoridade moral para pedir diálogo. Comigo, não. Estende uma mão e, com a outra, tem um punhal para ser cravado nas costas”, declarou o senador no primeiro dia de retorno das atividades legislativas após as eleições.”

Qual o problema desse tom beligerante do PT contra o PSDB? Infelizmente, quem mais perde é a população e o próprio governo. Em 2003, no primeiro ano do governo Lula, o PSDB deu apoio as reformas estruturais e a reforma tributária que chegou até mesmo a ser aprovada no Senado Federal. Hoje, não há a mínima possiblidade de um amplo acordo pró reformas nos moldes de 2003.

Tudo isso é muito ruim para o país e, com esse tipo de discurso, o PT aumenta o custo do ajuste, pois apenas com a sua base será mais difícil aprovar medidas necessárias para um ajuste fiscal. Seria muito bom para o Brasil que o debate politico fosse um debate de ideias, algo que parece ser, no momento, difícil.

O governo e o PT estão subestimando o tamanho dos problemas que precisarão enfrentar. Ainda não se deram conta que o cenário de 2015 não é aquele de 2011 quando, do lado da despesa, o governo foi favorecido pelo reajuste real “zero” do salário mínimo e, do lado da receita, o governo Dilma teve um ganho de receita de um ponto do PIB (R$ 50 bilhões em dinheiro de hoje) em decorrência do crescimento de 7,5%, em 2010., sem ter quer aumentar impostos.

Em 2015, o reajuste real do salário mínimo (2,5%) será mais do que o dobro do crescimento estimado do PIB (1%) e não se espera nenhum ganho de receita, a não ser que o governo aumente a CIDE e IPI, o que poderia trazer um ganho de 0,5% do PIB.

A tendência do superávit primário no próximo ano é piorar ainda mais a não ser que tenhamos “aumento da carga tributária” que o governo deve chamar de “recomposição da base tributária”. Por enquanto, vamos rezar para que a presidenta encontre um banqueiro que possa enfrentá-la para ser o próximo ministro da fazenda. Mas será preciso avisar isso com antecedência para trancarmos a nossa comida na geladeira para que ela não desapareça. Não quero passar fome.

18 pensamentos sobre “O PT, o ódio e a economia.

  1. Caro Mansueto, a campanha foi pesada, se você for buscar trechos e documentos, vai encontrar animosidades dos dois lados. O PT é independente do Governo e não vejo no Governo esse ímpeto belicista, até porque a eleição já passou. Por exemplo, e a marcha na paulista, domingo, com apoio de pessoas do psdb aonde pediram impeachmant, volta da ditadura e etc ? Só o Xico Graziano teve a hombridade de atacar esse absurdo, Aécio ficou bem quieto. Aliás, ele foi recebido ontem no senado sob gritos, de “Presidente”! “E fora PT”. Fora da onde, se o PT que ganhou as eleições ? E a campanha que o psdb estimulou, com adesivos: ” Fora Dilma e leve o PT junto!” Fora da onde, Mansueto ? Voce concordava ? Eu imagino que em eleições o objetivo é vencer e não eliminar o adversário ou mandá-lo para fora de algum lugar.

    • Os excessos foram muitos mas o foco deveria ser nas propostas e teses. Principalmente agora. Acho que nunca na minha vida defendi algo como “fora PT” porque sou a favor de visões diferentes e do debate de ideias. Não tenho nada contra o PT mas sim com a abordagem de algumas pessoas do PT. E já falei várias vezes aqui que o eleitor sempre está certo. O que é estranho é o partido publica um documento oficial com os termos publicado. Pelo que sei não há nada semelhante por parte do PSDB. Se tiver falarei mal como falei do documento do PT. Abs,

      • Lara, eu trabalhei no plano de
        governo de um dos candidatos da oposição, Aecio Neves. Mas não tenho nada contra a presidente e nem tão pouco comtra o PT, apesar dos inumeros ataques feitos ao Arminio Fraga e ao Aecio como mostra a resolucao acima no caso do Aecio.

    • Daniel, a eleição acabou e você continua espalhando mentira na página do Mansueto. Todas as lideranças do PSDB repudiaram os pedidos de intervenção militar. Aliás, foram meia dúzia de pedidos que você faz questão aqui de extrapolar para um grupo de 20 mil pessoas e generalizar

      O golpista aqui é o PT, que tenta desviar os debates do legislativo através de uma absurda democracia direta, que tenta censurar a imprensa sob o pretexto de democratizá-la e acabar com o monopólio (que o PT cultiva em vários setores da economia, diga-se de passagem), que quer aprovar uma nova Constituição, que defende o voto em lista fechada e que convoca sua militância “às armas”.

      Não o PSDB.

      Aliás, campanha de ódio que faz é o PT. O PT acusou Aécio de ser drogado, bêbado, agressor de mulheres, playboy, ladrão e corno (sim, até isso fizeram). Quem estimulou companha de ódio foi o PT. Agora aguentem a reação da sociedade.

      Vocês do PT não conseguirão aprovar uma medida de interesse sequer, pois estimularam a rivalidade e o ódio na sociedade. Terão 4 anos pra terminar de enterrar Dilma e Lula. E eu assistirei de camarote.

  2. Mansueto,

    Tenho enorme admiração por você e concordo em gênero, número e grau quando você diz que a política intervencionista do PT se assemelha muito à do Geisel. Entretanto, a questão da nostalgia da ditadura se deve às manifestações nas redes sociais e mesmo na rua de pessoas defendendo uma intervenção militar para tirar o PT do poder e por ordem na casa. Esse tipo de atitude, infelizmente, acaba dando munição ao PT. Não estou querendo, de maneira alguma, defender a atitude do partido do governo, que, de resto, sabemos arrogante e autoritária. Mas acho que se deve evitar esse tom beligerante e reacionário que não é e nunca foi a bandeira do PSDB.

    • Não apenas devemos evitar, mas denunciar e criticar veementemente. Não acredito que nenhum partido politico no Brasil defenda a ditadura.

  3. Estava lendo hoje de tarde que o operador nacional do sistema elétrico (ONS), cogitou realizar “cortes seletivos” (Opa! Já ouvi isso antes….) de energia.
    Isso me fez lembrar uma pequena pesquisa que fiz dos balanços anuais com algumas empresas de distribuição. Não darei nomes, mas há uma no nordeste que foi “encampada” (melhor dizer assim) que apresentava prejuízos crescentes.O prejuízo aumentou quase 3 vezes quando tentaram abaixar tarifa de energia elétrica no grito, Há várias na região norte onde a gente pode ver prejuízos na casa do bilhão. Isso a gente pode observar em distribuidoras privadas também. Há um risco grande de racionamento de energia com a chegada do verão, mas há um outro risco que não noto ninguém falar que é justamente a compra de energia das termelétricas no início do ano. Energia que é cara. Será que isso não iria expôr ainda mais as distribuidoras de energia há uma crise financeira?

    • Nosso governo será obrigado a desaquecer a atividade econômica forçosamente pra que não haja apagão. Espere juros altos em 2015. Mais ainda.

  4. Mansueto, uma dúvida: você sabe quando começam a entrar receitas decorrentes do leilão do Pré-Sal? E de quanto seriam essas receitas ao ano, em % do PIB? Abraço

  5. Eu acho curioso quando simpatizantes (para dizer o mínimo) do PT apontam os tais “absurdos” nos outros. Vejamos a tática do PT em alguns momentos da história recente do país. Quem começou com o “Fora Collor” foi o PT. Logo após a reeleição de Fernando Henrique as ruas foram tomadas com o “Fora FHC”, estimulado por Tarso Genro, em meio a bandeiras vermelhas de partidos de esquerda, sindicatos, estudantes e etc. Em junho de 2013 o mesmo aconteceu em relação ao Alckmin (Fora Alckmin!) em São Paulo, enquanto o “direito de manifestação” era exercido à base de quebra-quebra, coquetéis molotov e arruaças. Alguém do PT protestou ou condenou esses excessos? Não! Estavam torcendo para o caos desgastar o governador de São Paulo, condenando a ação da “PM do PSDB”. O PT é assim, cínico e dissimulado. Se faz de vítima quando interessa, manipulando informações e distorcendo fatos. Ora, as manifestações que ocorreram no final de semana passado são legítimas. Expressam o descontentamento de parte significativa de brasileiros. Ou agora querem cassar o direito democrático de manifestação daqueles que não pertencem a movimentos organizados, compostos por minorias sequestradas pelo PT e usadas como inocentes úteis? É legítimo que um ou outro defenda o que bem entenda, inclusive besteiras. Se crime for, que pague na forma da lei. O fato é que NÃO era a bandeira principal das manifestações a defesa da volta da ditadura. Afirmar isso é desonestidade. Quantos cartazes havia com essa demanda? Toma-se uma exceção, à margem da manifestação, como o todo para conspurcar um direito legítimo e democrático. Para finalizar, já que este não é meu blog (me desculpe, Mansueto, pelo tamanho do meu comentário) mostro abaixo o caráter (ou falta de) do PT num trecho da Resolução Política do partido, publicada no último dia 3 de novembro:
    .
    “A oposição, encabeçada por Aécio Neves, além de representar o retrocesso neoliberal, incorreu nas piores práticas políticas: o machismo, o racismo, o preconceito, o ódio, a intolerância, a nostalgia da ditadura militar.”
    .
    O que vai acima é pura e cavalar mentira! Aécio nunca disse nada que se aproxime do que é afirmado, ao contrário de Lula que xingou Aécio de playboy, bêbado, drogado e outras injúrias e protege e dá dinheiro de impostos para ditadores assassinos da América Latina. O que faz o PT (que é governo!!!) me dá medo e me faz lembrar de figuras diabólicas como Vladimir Lênin (“Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é”) e Goebbels (“Conte uma mentira mil vezes que aos poucos ela se torna verdade”).
    .
    Essa é a verdadeira face do diálogo que Dilma e o PT propõe para a oposição? Acho que já passou da hora de nos levantarmos contra o projeto que o PT está construindo para o Brasil. A gente já conhece o final desse filme e sabe que não termina bem!

  6. Dizem que a mentira tem perna curta; mas, como disse a jornalista Miriam Leitão, a mentira é teimosa, ela aparece depois das eleições. O PT e o PSDB desconstruíram a campanha da Marina; depois, ambos duelaram como no MMA, porém uma coisa vejo de vantagem: o PT tem uma oposição de 50 milhões de brasileiros, pois não soube investir no Brasil, procurando fazer do Partido o Estado, como no velho e conhecido comunismo.

  7. Republicou isso em Blog de PAULO ESPINDOLAe comentado:
    Dizem que a mentira tem perna curta; porém a fofoca e a mentira têm é “pernas-longas”, pois serviram para alterarem os índices, os ânimos e dividiram o país. Mas, como disse a jornalista Miriam Leitão, a mentira é teimosa, ela aparece depois das eleições. O PT e o PSDB desconstruíram a campanha da Marina; depois, ambos duelaram como no MMA, porém restou uma vantagem: o PT tem uma oposição de 50 milhões de brasileiros, pois não soube investir no Brasil, procurando fazer do Partido o Estado, como no velho e conhecido comunismo.

  8. Quem leu o livro de Felipe Miranda,”O FIM DO BRASIL”,começa ver exatamente tudo ou quase pelo menos por enquanto.A respeito da crise energética ele enfatiza que um dos grandes problemas das nossas hidrelétricas foi a escolha de usinas de fio dagua ao invés de reservatórios que represariam mais água para geração de energia.Hoje além de estarmos correndo risco de um eminente apagão,estamos gerando energia mais cara e muito mais poluente com as térmicas a óleo e carvão.Espero que as previsões de Felipe com relação a economia do Brasil,não se concretizem,pois caso isso venha a ocorrer teremos dias muito dificies em 2015.Recomendo para quem ainda não leu ,que procure e leia,é uma obra que vale a pena .

  9. Antes de qualquer comentário, é interessante frisar que os grandes nomes do PSDB sofreram com a ditadura militar, alguns foram exilados e sempre defenderam intransigentemente a democracia, ao contrário do que muitos tentam pregar. Não há dúvidas que a eleição foi legítima, o PT ganhou à sua maneira (reprovável) e é governo, entretanto, deve-se respeitar a manifestação dos que perderam, afinal, ela é, também, mais do que legítima. Acredito que o zum, zum, zum só está começando, vem muita novidade por aí..

  10. O governou criou uma armadilha para si mesmo. Crescimento zero com inflação em 6,5%. Se quiser fazer o país crescer mais, a inflação arrebenta o teto. Se quiser reduzir a inflação, joga a economia numa recessão. O próximo ano será emocionante para os economistas.

  11. A propaganda política utilizada pelo PT para influenciar e doutrinar a opinião pública nas eleições de 2014, é qualitativamente superior quando comparado com a propaganda utilizada por Joseph Goebbles, Ministro da Propaganda de Hitler, no período de 1933 a 1945, na Alemanha Nazista.
    A propaganda do PT consistiu em técnicas de verdadeira guerra psicológica, rancor, disseminação de ódio, mentiras, difamação e desqualificação dos opositores, etc. etc. Se Joseph Goebbles ainda fosse vivo ele teria muito que aprender com o marqueteiro do PT, haja vista que as técnicas de propaganda utilizadas por Goebbles deixaram muito a desejar, quando comparadas com as técnicas refinadas utilizadas pelo marqueteiro petista.
    O PT, a exemplo, do governo da Alemanha Nazista deveria criar o Ministério da Propaganda e fundar um jornal de nome “O Ataque” que em alemão significa “Der Angriff”. A “Resolução Política dos Partidos dos Trabalhadores” divulgada recentemente dado o seu conteúdo, é um excelente documento para ser publicado no referido jornal.

Os comentários estão desativados.