O governo foi reeleito com uma margem apertada

O TSE divulgou há pouco o resultado e o governo ganhou a eleição. Isso indica que a presidenta Dilma ganhou mais um mandato e terá ela própria a chance de corrigir os erros que fez ao longo do seu primeiro mandato.

Desejo sorte a presidente e seu partido, mas como tenho escrito neste blog desde 2010, não tenho confiança que o governo da presidenta Dilma conseguirá resolver os problemas do Brasil com a manutenção da mesma política econômica.

O governo atual começa com uma margem “zero” de espaço fiscal e com uma trajetória de crescimento da despesa acima da receita e, assim, com uma tendência de piora fiscal. Adicionalmente, o governo terá que anunciar nos próximos dias que não cumprirá a meta de primário para este ano. Não esperem noticias positivas na área econômica.

A pressão do mercado financeiro será brutal por uma maior clareza em relação à política econômica do governo, que ao longo da campanha sempre destacou que não havia necessidade de ajustes da sua política. Se continuar com este discurso, isso significará juros mais altos, dólar mais alto e queda da bolsa e crescimento pífio. Claro que o governo pode mudar esse jogo, mas acho difícil.

O meu cenário econômico é que a presidenta vai dobrar a sua aposta na política econômica e isso exigirá aumento de carga tributária. Aumentarão a CIDE e IPI até o final do ano e tentarão recriar a CPMF. Há ainda uma crise política já contratada com as investigações da Petrobras e os desdobramentos disso no Congresso Nacional, em 2015.

Em relação aos bancos públicos, se o governo não diminuir os subsídios com o aumento da TJLP e empréstimos para bancos públicos, continuaremos com o aumento da divida publica bruta e liquida, o que exigirá um superávit primário ainda maior. Em relação à despesa, o governo não terá como reduzir a despesa pública no próximo ano, a não ser que corte o investimento público, o que não é desejável.

Em resumo, o novo governo começa com um cenário muito difícil. Não estou no grupo de otimistas. Um fato positivo é que o governo terá uma oposição muito mais organizada no Congresso Nacional e, especialmente, no Senado Federal. No meu caso, pretendo continuar com o blog de forma muito mais ativa.

Grande abraço a todos e bola para frente. Aécio Neves e a oposição saem maior desta eleição. Nossas ideias continuam e temos que procurar nos expressar melhor com a população e mostrar um projeto alternativo. Isso não será difícil porque, na minha opinião, o governo continuará a insistir nos mesmos erros e temo que não conseguirá satisfazer a demanda dos seus eleitores que requer aumento dos gastos. Mas se a economia não voltar a crescer, não há como aumentar a despesa a não ser que o próximo governo já comece aumentando a carga tributária, que diminuirá ainda mais nossa competitividade. Estou ansioso para acompanhar o próximo governo e contribuir no que puder para o debate.

Parabéns a presidenta Dilma. Para aqueles que votaram no senador Aécio Neves, não fiquem tristes. Ele saiu muito maior do que entrou nesta eleição, será um grande líder da oposição e o nosso grupo econômico permanecerá unido e muito mais ativo.

Mansueto Almeida