Eleição se decide nas urnas: Aécio Neves está no segundo turno.

No dia 2 de setembro, quando a ex-senadora Marina Silva estava 20 pontos de percentagem à frente do senador Aécio Neves, escrevi neste blog um post (clique aqui) no qual falava o seguinte:

Ainda é muito cedo para se definir o resultado das eleições pelas pesquisas. Se pesquisa eleitoral definisse eleição, vários dos candidatos hoje a governador deveriam renunciar suas candidaturas, pois alguns deles não alcançam nem 10% das intenções de voto. O mesmo valeria para aqueles candidatos com elevada taxa de rejeição em um segundo turno. Mas alguém no seu pleno juízo acha que pesquisa eleitoral com pouco mais de dois mil eleitores define eleição? Não. Mostra tendência é claro, mas não define eleição”.

Nos comentários a este post, um leitor deste blog escreveu em tom meio decepcionado comigo que:

So if the polls showed Dilma, Aecio, and Marina within 2 percentage points of each other (say 30%, 29%, 31%) one could not responsibly say “the election is over for Mr. Neves”… but given that both Marina and Dilma appeared 19pp points ahead of Aecio on the last Datafolha (and regardless of the poll Aecio is at the very least 10pp behind Marina) it is reasonable to conclude that unless another completely unexpected and low probability event takes place, Aecio will not be Brazil’s next President.

Bom, as eleições ainda estão em curso. No entanto, como falei no início de setembro, pesquisa eleitoral mostra tendência, mas não define resultado. E hoje as urnas mostraram isso, ao contrário do que estatísticos e cientistas políticos falavam baseado em dados estatísticos. No dia 19 de setembro de 2014, no seu artigo no Valor (Marina Silva perde terreno), Alberto Carlos de Almeida, por exemplo, escreveu que:

“…No momento, o nível de conhecimento de Marina é pelo menos 10 pontos percentuais maior que o de Aécio. Isso praticamente soterra as esperanças do candidato do PSDB de ultrapassar Marina. Fica evidente que foi um grande erro o PSDB ter lançado Serra candidato a presidente em 2010……A combinação entre “recall” mais elevado que o de Aécio e o voto de oposição faz com que Marina ocupe em definitivo o terreno que seria do candidato do PSDB.”

Ao contrário do que Alberto e vários outros cientista politicos apontavam, Aécio ultrapassou Marina. O erro não foi apenas do Alberto Carlos de Almeida,  que é um excelente cientista político, mas de vários outros cientistas políticos e, em especial, dos institutos de pesquisa. Lembro que um desses institutos mostrava Aécio em terceiro lugar em Minas – algo que todos sabiam ser impossível de acontecer até o final do primeiro turno.

Hoje, o que parecia um “evento inesperado e de baixa probabilidade” aconteceu e o senador Aécio Neves está no segundo turno com quase 34% dos votos, quase 10 pontos de percentagem acima do que indicavam as pesquisas na sexta-feira e 14 pontos de percentagem acima do que mostrava a pesquisa do IBOPE divulgada em 30 de setembro. Não ocorre um crescimento dessa magnitude em uma semana sem nenhum grande fato novo relevante. Por algum motivo os institutos de pesquisa erraram feio nas intenções de voto para presidente.

O mais interessante disso tudo é que, no mesmo dia que publiquei o post acima do dia 2 de setembro, falei por telefone com o senador Aécio Neves e ele me confirmou que estava animadíssimo e acreditava que em um mês conseguiria virar a situação adversa mostrada pelas pesquisas, apesar da descrença de muitos dentro e fora da sua coligação.

Moral da história. Se o senador Aécio Neves fosse estatístico, ela já estaria em casa há muito tempo porque, no início de setembro, ele estaria estatisticamente “fora do páreo”.  Como é político e não estatístico ou cientista político, acreditou na virada, trabalhou arduamente para isso e conseguiu chegar ao segundo turno com 34% dos votos, ante 21,3% da ex-senadora Marina e 41,55% da presidente Dilma.

Hoje, a oposição teve 55% dos votos contra o governo e a diferença entre o primeiro (Dilma) e o segundo (Aécio) colocado, que era de 20 pontos de percentagem nas sondagens dos institutos de pesquisa divulgados ontem, uma dia antes da eleição, foi de apenas 8 pontos de percentagem. Dá para virar. Se o senador Aécio Neves conseguiu uma virada em circunstâncias adversas, imaginem agora.

Parabéns senador Aécio Neves.

Captura de Tela 2014-10-05 às 22.40.01