A lista de queixa-crime do Banco Central deve aumentar?

Como a norma do Brasil agora é processar quem fala mal de algumas instituições, vou fazer o meu dever de cidadão e ajudar o Banco Central a mapear quem fala mal desta instituição. Talvez seja o caso de começar uma queixa-crime contra cada um dos nomes abaixo. Ou não? O melhor seria levar isso para o debate econômico e não para a justiça.

(1) Luiz Gonzanga Beluzzo: 27 de janeiro de 2007 no portal vermelho (clique aqui).

O que faz hoje? É um dos conselheiros da Presidente Dilma

Crime: acusou Banco Central de ser incompetente

“Na opinião de Belluzzo, uma dessas falsas políticas vem sendo implantada pelo Banco Central (BC). O professor da Unicamp é duro crítico da gestão Henrique Meirelles. “O Banco Central executa uma política de câmbio e juros desastrosa e incompetente”.

(2) Aloízio Mercadante: 10 de outubro de 2002 (clique aqui).

O que faz hoje? Ministro chefe da Casa Civil da Presidenta Dilma

Crime: acusou o Banco Central de favorecer especulação no mercado cambial para favorecer candidato do governo José Serra.

“Falta ação do BC e do governo com o compromisso com a estabilidade”, disse Mercadante a jornalistas no comitê de campanha do presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva, da coligação encabeçada pelo PT.

Espero que esse movimento (do câmbio) não seja mais uma vez uma aliança preocupante entre a especulação imediatista de setores do mercado, que têm títulos indexados ao câmbio com vencimento dia 17, e setores do governo que acham que a instabilidade e a crise ajudam a candidatura do governo…”

(3) Luciano Coutinho – 25 de dezembro de 2005 (clique aqui)

O que faz hoje? Presidente do BNDES.

Crime: acusou o Banco Central de tomar decisões pouco sensatas e o Copom de incompetente, o que nos levou, em 2005, crescimento magro do PIB (Produto Interno Bruto), dívida mobiliária inflada, câmbio superapreciado, investimentos prejudicados.

“O ano de 2005 termina com resultados macroeconômicos bisonhos, aquém das promessas e das expectativas…..Essa mediocridade foi provocada, como sabemos, pela política de juros reais muito altos que o Banco Central perseguiu desde o ano passado.

…… O custo da incompetência do Copom está aí, inegável: no plano fiscal, cerca de 2,2 pontos percentuais do PIB em encargos adicionais de juros (a bagatela de R$ 42 bilhões!); no plano econômico, uma taxa de crescimento anêmica, com sacrifício de decisões de investimento”

…. Enfim, no que tange ao funcionamento do Copom/BC, a sociedade não pode mais continuar refém de um arranjo institucional mal-ajambrado, em que convivem falta de independência formal com arbítrio informal, auto-suficiente e sem responsabilização por erros onerosos que poderiam ter sido evitados.”

(3) Luiz Inácio Lula da Silva – 6 de julho de 2001 (clique aqui)

O que faz hoje? Palestrante e politico influente.

Crime: acusou o Banco Central de tomar decisões para controlar taxa de câmbio em 2001 que prejudicavam os brasileiros.

“O presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse ontem que a medida anunciada pelo governo para conter a alta do dólar é “uma pedrada jogada na cabeça do povo brasileiro”: “Um governo que resolve destinar US$ 1 bilhão por mês para garantir o não-aumento do dólar é um governo que deveria reconhecer que a nossa economia está debilitada.”

PS: Hoje o Banco Central gasta muito mais de US$ 1 bilhão por mês para controlar a taxa de câmbio. 

(4) Maria da Conceição Tavares – 26 de outubro de 2004 (clique aqui)

O que faz hoje? Professora da UNICAMP e UFRJ.

Crime: acusou os diretores do Banco Central de serem todos débeis mentais, ignorantes e piranhas financeiras”.

Ela não poupou, porém, a atual gestão do Banco Central, instituição que classificou de “fraca” e “ruim”. Sem citar nomes, chamou os diretores do banco de “bando de falcõezinhos”, “débeis mentais” e “ignorantes”, que usam o prestígio adquirido no governo para depois voltarem ao mercado e fazerem fortunas.

Quem está sentado na Fazenda e no BC, em geral, é conservador. Daí a ser vendido, débil metal, ignorante, piranha financeira e fazer um rentismo [privilegiar os ganhos de capital, no lugar da produção] desvairado, as coisas mudam de figura.”

CONCLUSÃO

A lista acima poderia continuar e seria longa. Mas os nomes acima servem para dar uma boa ideia da importância do Banco Central resgatar sua honra e começar uma queixa-crime contra cada um dos nomes acima. Será que é isso que esperamos do Banco Central? 

Se isso acontecesse, toda a diretoria do BACEN perderia o emprego no dia seguinte. Imaginem o BACEN processar um ministro de estado e pessoas simpatizantes do partido no poder. É claro que estou brincando e o correto não é processar quem fala mal do Banco, mas aceitar essas criticas porque isso sempre aconteceu e o Banco Central precisa saber conviver com essas criticas ácidas. Até porque se o PT sair do governo a critica será ainda mais feroz.

A grande diferença no caso atual da queixa-crime do Banco Central contra o economista Alexandre Schwartsman é que antes se falava MUITO mal do Banco Central e nem por isso Meirelles e Armínio Fraga mandavam abrir um processo de queixa-crime. Hoje, ao que parece, a prática mudou. O que me deixa entristecido e MUITO preocupado.

O Banco Central criou um barulho desnecessário e colocou em xeque sua independência (estou falando aqui do ponto de vista estritamente técnico). E se isso começou acontecer até mesmo com Banco Central do Brasil, que tem uma quadro técnico excelente, imaginem o que está por vir ……. “Senhor, eu tenho dúvidas (e medo)”           

17 pensamentos sobre “A lista de queixa-crime do Banco Central deve aumentar?

  1. Compartilho enormemente da sua preocupação e do medo também Mansueto.
    Acho que coisa boa não vem por aí.
    Por isso não pretendo voltar para o Brasil tão cedo (e pode me chamar de “frouxo” mesmo).
    Alexander Gunnar Julião, Economista-UFPE

  2. Mas Mansueto, essa foi uma “escolha democrática”, pois a população escolheu representantes que não querem um BC independente e que preferem políticas populistas e curtoprazistas a outras menos bolhistas e desenvolvimentistas.
    Sendo assim, basta a “transparência” da queixa-crime, que deixa claro que não se aceitarão críticas verdadeiras e fortes ao BC. Dessa maneira, não há surpresas e é tudo às claras.
    A premissa do Samuel serve pra qualquer situação e esse é um dos seus grandes riscos. Tenho certeza que na Venezuela houve muitos bem intencionados como ele…

  3. Pingback: Banco Central processa Alexandre Schwartsman devido a críticas CORRETAS | Blog do Munhoz

  4. O Marcos Lisboa tomou a iniciativa de preparar um abaixo-assinado sobre o caso.
    Acabei de ler e assinar o abaixo-assinado: «Manifesto sobre o caso envolvendo o Banco Central e o Economista Alexandre Schwartsman» no endereço http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR74543

    Concordo com este abaixo-assinado e cumpro com o dever de o fazer chegar ao maior número de pessoas.

    Caso você concorde, agradeço que assine o abaixo-assinado e que ajudem na sua divulgação através de um email para os seus contatos.

    Obrigado.

  5. Caro Mansueto, também nao concordo com essa atitude do BC. Considero anti democrática e um provavel abuso. Mas e o caso de internautas twiteiros, que estão sendo processados, pelo candidato Aécio Neves, nao é caso do mesmo tipo ? Ou talvez até pior. Bem ou mal o Alexandre é pessoa conhecida e tem muito apoio por ai e pode se defender. E os twiteiros ? Afinal, ele também é alta autoridade, senador e candidato a presidencia. Imagine se virar presidente o que nao poderá fazer. Na imprensa mineira ninguem fala mal dele, porque será né. Ainda bem que parece que desse risco estamos longe, a julgar pelas pesquisas.

    http://jornalggn.com.br/blog/implacavel/a-lista-dos-twitteiros-processados-por-aecio-neves

    Abraco.

    • Pelo que li nos jornais hoje o processo não é contra pessoas físicas que falam coisas pessoais contra ele. Mas sim contra robos eletrônicos e pessoas pagas pelo PT para falar mal.

      Acho que escrutinar o governo de um governador e presidente é positivo e a internet permiti isso. Outra é chamar a pessoa dos mais variados adjetivos. Assim, eu acho positivo que se investigue o governo do PSDB em Minas, São Paulo e todos os outros estados do Brasil.

      O mesmo que aconteceu com Alexandre é condenável qualquer que seja o partido no poder e com qualquer pessoa. E voce sabe melhor do que que o BACEN é a Geni de qualquer governo.

      • Eu também sou contra o que o BC fez, sem dúvida. Só que dessa forma voce já está prejulgando. “Pessoas que o PT paga para falar mal dele”. Como sabe que é assim ? Assim fica fácil né. Mas tudo bem, sei que voce está apoiando ele e a turma aqui também está toda com ele. Acho melhor voltar ao blog para discutir apenas assuntos economicos e após as eleicoes. Abraco.

      • Na verdade estou apenas reproduzindo o que está nos jornais, Muita gente sem ser paga e por convicção fala mal de políticos de qualquer partido. O que é normal.

        Mas a imprensa fala que há uma militância contratada pelo PT para atuar nas redes sociais. Talvez o mesmo ocorra com os demais partidos e a imprensa não fala? pode ser. Se este for o caso, qualquer que seja o partido, deveria ser punido.

    • Se é mentira ótimo. Peço desculpas pelo que falei. Não acompanho isso e nem tenho interação com o pessoal que faz política do partido, e que está por trás desse processo de briga na justiça.

      No caso do Alexandre é diferente porque conhecemos o que o próprio BC alegou e já se falou coisa muito pior do BC.

      No caso de processarem o meu blog, o que posso fazer? Está no direito de cada um. Mas não me lembro de ter agredido a nenhum partido ou pessoas em particular. Tento ao máximo evitar ofensas pessoais – ao contrário das que recebo. Mas paciência.

      • Sem dúvida, Mansueto. O que estou colocando é que esse tipo de prática autoritária está em todo o processo eleitoral, infelizmente. Nao é prática exclusiva de um lado político.

  6. Pingback: Manifesto sobre o caso envolvendo o Banco Central e o Economista Alexandre Schwartsman | De Gustibus Non Est Disputandum

  7. Dilma na propaganda eleitoral diz: ““Marina tem dito que, se eleita, vai fazer a autonomia do Banco Central. Parece algo distante da vida da gente, né? Parece, mas não é”, narra o locutor. “Isso significaria entregar aos banqueiros um grande poder de decisão sobre sua vida e de sua família, os juros que você paga, seu emprego, preços e até salários.” Ou seja, a Dilma merece ser processada pelo Banco Central por dizer que se “autônomos” serão dominados pelos Banqueiros o que não acontece hoje porque o Mantega/Dilma é que não permite que isso aconteça.

Os comentários estão desativados.