Um novo mercado: adivinhar as pesquisas eleitorais

Ontem conversando com um amigo do mercado financeiro, ele subitamente pediu para interromper a conversa, pois tinha que terminar um contrato com um dos vários institutos de pesquisas pequenos que criaram um novo mercado: adivinhar o resultado das pesquisas dos grandes institutos como DATAFOLHA e IBOPE para que seus clientes possam se posicionar no mercado de ações.

Dada a crescente incerteza do que será um segundo governo da situação versus da oposição (aqui não estou fazendo juízo de valor apenas mostrando a visão do mercado), bancos e corretoras de valores, entre outros, passaram a contratar empresas de consultoria política e de pesquisas privadas para tentar adivinhar com horas de antecedência as intenções de voto que serão divulgadas na próxima pesquisa dos grandes institutos acima.

Conseguir a informação com poucas horas de antecedência vale muito dinheiro. Isso é antiético? Antiético é roubar ou usar insider information para lucrar. Não é o caso aqui, já que uma empresa privada contrata outra empresa privada para fazer uma pesquisa eleitoral fechada. O mercado é tão sofisticado que, algumas vezes, a empresa contratada faz sua pesquisa no mesmo ou quase no mesmo dia do IBOPE, por exemplo, para tentar adivinhar o resultado do IBOPE que será divulgado à noite para o seu cliente.

Esse novo mercado não tem absolutamente nada a ver com o sucesso ou fracasso de um eventual segundo governo Dilma ou de seus oponentes. É uma atividade que despontou naturalmente e decorre da forma binária que o mercado encara a disputa eleitoral, identificando alguns dos candidatos como mais “business friendly” do que outros. Aqui não há meio termo. Na visão do mercado, se o candidato X ganhar as ações disparam e juros de longo prazo despencam e se B ganhar ocorre o contrário.

O que fazer? Acho que nada. Mercado ganha dinheiro com apostas baseadas em cenários diferentes. A única forma de acabar com esse tipo de atividade é se a política macroeconômica saísse da disputa eleitoral. Mas o governo, conscientemente ou não, conseguiu trazer a política macro para o centro da disputa eleitoral.

Você ficou com raiva porque empresas privadas financeiras e não financeiras tomam decisões baseadas na perspectiva do resultado eleitoral? Pode ficar, espernear, chorar, e amaldiçoar os neoliberais, keynesianos e marxistas. Mas em uma democracia não podemos exigir que empresas privadas pautem suas ações baseadas na preferência individual de cada um de nós. Empresas privadas devem responder à expectativa de lucro de seus acionistas e não ao bom ou mau humor do governo de plantão, seja ele de esquerda, de centro ou de direita.

3 pensamentos sobre “Um novo mercado: adivinhar as pesquisas eleitorais

  1. Excelente, Mansueto. Tem horas que aparenta quererem colocar o Brasil fora do sistema internacional de mercados e seus vários itens e/ou interesses, ou de sua variada nuance político-ideológica. Impressiona como muitos arvoram-se do Brasil sediar uma reunião do Brics, mas não gostam quando depois lhes é dito que quase nada do que foi tratado ali tem poucas chances de ser colocado em prática, dado a asssimetria dentre seus membros. Ou que há mais pontos a não darem certo do que o contrário. Deve ser algum tipo de miragem tomada como real.
    Ou seja, tomando a miragem do futebol, o jogo 7 x 1 Alemanha e Brasil, pode ser visto como 1 x 7 Brasil e Alemanha. Só que, independente da forma como se mostra o resultado, o time do Brasil perdeu do mesmo jeito.
    No caso Brics, basta ver que, reunião após reunião, a China continua fazendo o que sempre fez, independente da carta de intenções divulgada. Já o Brasil, toma como um grande sucesso, por si só, a reunião havida.
    Agora chegou a vez das pesquisas eleitorais e variações de mercados. Como, aparentemente, conseguiram que o analista fosse despedido, a candidatura governamental possa vencer a contenda. Nesse caso, ao invés de analistas de risco de mercado, pode ser que logo logo, intentem é despedir o povo.

  2. Caro Mansueto, a bolsa caiu hoje em torno de uns 0,5%, então é bem provável que a pesquisa IBOPE da noite mostre avanço da Dilma em relação aos adversários, será ? Eu acho bem louco os analistas indicarem posições aos clientes baseados nesse tipo de coisa. Abs.

    ps: comentário enviado as 17:00 de 07/08/2014.

    • Não tenho a mínima ideia dessa nova pesquisa do IBOPE e nem acompanho a bolsa. Mas qual o ganho da bolsa na semana? se estava em alta na semana a queda de hoje pode ser apenas correção. Mas como você eu acho isso tudo muito louco.

Os comentários estão desativados.