Não vale a pena debater

Ao contrário do que muitos pensam, torço para que o governo dê certo e que o Brasil volte a crescer 4% ao ano. Ontem mesmo conversando com um economista japonês no IPEA falei que esperava que o governo melhorasse porque o ex-presidente Lula tem conversado com empresários, sindicalistas, políticos e o ex-ministro Palocci (que foi inteligente e se cercou de economistas liberais) continua ativo nos bastidores. Mas quando vejo o  tipo de  declaração como essas abaixo, tenho que respirar fundo e torcer para que haja de fato alguma melhora.

O que me intriga é algo mais simples. Será que as pessoas que falam isso têm plena convicção do que estão falando?

“Não se pode criar nenhuma nova despesa”, assinalou Mantega. O pacto (fiscal) não tem prazo de validade definido. “Vai durar enquanto o Executivo e o Congresso acharem necessário” e significa que “Legislativo e Executivo estão abraçando a mesma bandeira, que aliás sempre esteve presente, de manter os sólidos fundamentos fiscais da economia brasileira – Ministro Mantega hoje no Valor.

E um trecho do artigo do economista do BNDES e colunista da Folha Marcelo Miterhof na folha de hoje comentando sobre o papel do Estado no fomento à inovação e empresas inovadoras:

“…..O Brasil tem bons exemplos nos últimos anos. Há as grandes operações de renda variável do BNDES. Essa atuação foi mal denominada de “política escolha dos campeões nacionais”, sugerindo que ela envolve benefícios indevidos a grupos privados. Mas o BNDES há décadas participa de fusões e aquisições sem provocar grande alarde. A novidade recente foi que parte delas teve um objetivo nobre, a internacionalização de grupos nacionais.” 

Não há nem como iniciar uma discussão. Houve uma redução de mais de 50% no superávit primário e uma forte emissão de divida bruta com truques contábeis que até um dos mais ferrenhos defensores do governo, o ex-ministro Delfim Netto, começou a criticar fortemente nos seus artigos. Por sua vez, o pesquisador do BNDES acha que apoiar empresas grandes em setores nos quais o país já é competitivo seria um exemplo do “The Entrepeneurial State” que fala a professora da Sussex University Mariana Mazzucato. É difícil debater.

4 pensamentos sobre “Não vale a pena debater

  1. O lado ideológico (a aloprado) dos tecnocratas já está a prevalecer há muito tempo, caro Mansueto. Infelizmente não vejo perspectivas de navegação em mares calmos a médio prazo

Os comentários estão desativados.