A reação da Casa Civil ao relatório do TCU

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, deu a seguinte declaração sobre a critica do relatório do TCU quanto à baixa execução do investimento público no primeiro ano do governo da Presidenta Dilma:

Os investimentos não estão com baixa execução. Seguem a execução que tiveram no ano anterior”, afirmou. Ela disse também que o governo está reduzindo os gastos com o custeio para exatamente o País ter mais investimentos. “Estamos conseguindo, apesar da crise e das dificuldades que temos de enfrentar no ambiente interno e externo da economia, ter um nível de investimento adequado”, disse. (Fonte: Estado de São Paulo).

Mas os dados fiscais deste ano até abril mostram que o custeio tem crescido (algo como 15% com o MCMV e de 10% sem o MCMV) e que a execução do investimento público é negativa (sem MCMV – ver meu post anterior). E para um país que tem uma infraestrutura inadequada e precisa aumentar o investimento público, manter o investimento do ano anterior não é bem um critério de sucesso.

É tão difícil aumentar o investimento público no Brasil que o próprio governo adotou um Regime Diferenciado de Contratações para as obras da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Fora isso, o contingenciamento também atrapalha a execução de algumas obras.

4 pensamentos sobre “A reação da Casa Civil ao relatório do TCU

    • Muito boa a entrevista. Note que quando o reporter pergunta a ele sobre o qual seria o mix de politicas mais adequado para o Brasil crescer, ele responde que não tem nada contra as políticas de curto-prazo (suavizar as flutuações do PIB) mas acredita que chegou o tempo do Brasil prestar mais atenção aos fatores que afetam a oferta; i.e. investir mais e prestar mais atenção ao crescimento da produtividade.

      Como ele destaca, aumentar o investimento é ao mesmo tempo uma barreira ao crescimento e também uma oportunidade. Concordo!

  1. Armínio é craque em economia e fala de forma equilibrada. Boa entrevista! Pena que a oposição política ao governo do PT não tenha gente como ele falando e apontando caminhos para o País. Não é preciso gritar nas tribunas do Congresso e tampouco partir para ofensas pessoais. Quem sabe ainda veremos momentos mais interessantes de debate no Brasil? É sempre uma esperança…

Os comentários estão desativados.