O excepcional e estranho lucro do BNDES

OBS: este post foi editado em 18 de abril de 2011, na parte que trata da distribuição do lucro do BNDES com seus funcionários devido as convincentes explicações de funcionários do banco. A nota técnica também foi atualizada. A tese central da nota que continua sem explicação é quanto o BNDES ganha com o carregamento de Títulos do Tesouro Nacional, até que os recursos sejam efetivamente repassados ao setor produtivo. 

Na semana passada, participei de um workshop no the Brookings Institute em Washington no qual falei sobre BNDES e politica industrial. No entanto, ao preparar minha apresentação, notei algo estranho com o lucro supostamente excepcional do BNDES, em 2010, que foi de R$ 9,9 bilhões, um crescimento de 47% em relação ao lucro de 2009 de R$ 6,7 bilhões.

Acontece que o lucro do BNDES nos últimos dois anos foi, sem dúvida alguma, inflado por aplicações do banco em títulos públicos. Vamos explicar esse truque e para quem se interessar segue a nota técnica anexa que fiz (clique aqui – versão da nota revisada em 18 de abril de 2011).

Por que o BNDES ganhou com titulos públicos? Quando o Tesouro Nacional repassa titulos para o BNDES, nas operações de emprestimos já tão conhecidas, o BNDES fica com um titulo que rende SELIC e passa a dever ao Tesouro uma divida corrigida por TJLP. Assim, enquanto não empresta esses recursos, o BNDES fica com o diferencial de juros e, assim, o seu lucro aumenta de forma artificial.

Há como provar essa tese que o BNDES lucra com operações com Títulos Públicos? Acho que sim. Como se observa abaixo, o resutado das operações do BNDES com titulos e valores mobiliários passou de R$ 2,1 bilhões, em 2008, para R$ 8,4 bilhões em 2010. O aumento do resultado dessas operações é anormal e decorre, em parte, do retorno com titulos públicos como provo a seguir.

Tabela 1 – Resultado de Aplicações em Títulos e Valores Mobiliários e Lucro do BNDES (2005-2010) – R$ mil correntes

Fonte: BNDES, resultado consolidado

O gráfico  abaixo mostra que, de 2005 a 2007, as aplicações diretas do BNDES em títulos públicos, que eram de apenas R$ 1 bilhão, passam a crescer substancialmente a partir de 2008. Esses títulos rendem  juros para o BNDES (SELIC) maior do que a correção de sua divida junto ao Tesouro Nacional (TJLP) permitindo ao banco um ganho substancial de aplicações em títulos públicos como se vê no gráfico 2 abaixo, que mostra o resultado do banco com aplicações em títulos públicos que passou de R$ 0,81 bilhão, em 2008, para R$ 5,90 bilhões em 2010,; um crescimento de mais de 600%.

Aplicações do BNDES em Titulos Públicos – R$ bilhões

Fonte: BNDES

Resultado do BNDES consolidado com aplicações em Títulos Públicos (R$ bilhões) Fonte: Nota Explicativa 26.2 pp.90-91 do Balanço de 2010 e Nota Explicativa 25.2 do Balanço de 2009, pp. 74-75

Onde está o lucro excepcional do BNDES de 2010?

Se fizéssemos um exercício contra factual, admitindo que o retorno do BNDES com aplicações em títulos públicos, em 2010, fosse o mesmo que em 2008 (R$ 0,81 bilhões), o lucro do banco seria reduzido de R$ 9,9 bilhões para R$ 4,8 bilhões, um valor inferior ao resultado de 2006, 2007, 2008 e 2009. Assim, parece que o lucro do BNDES, em 2010, foi fortemente influenciado pelo resultado em títulos públicos, além do ganho de R$ 2,8 bilhões que decorreu da baixa da provisão para risco de crédito decorrente da renegociação da dívida da empresa americana AES que foi vendida para o grupo Andrade Gutierrez. Se retirarmos essa baixa da provisão para devedores duvidosos, que não é um ganho recorrente, o lucro do BNDES cai para apenas R$ 2 bilhões, um lucro pequeno frente ao crescimento dos desembolsos do banco.

E a repartição de Lucro com os empregados? ao contrário do afirmado na versão original deste post, o crescimento artificial do lucro do BNDES não parece ter tido relação com o crescimento recorde na repartição de lucro do banco com seus funcionários que passou de R$ 53,9 milhões (2008) para 159 milhões (2010), um crescimento de 194% em dois anos.

Segundo explicações de funcionários do banco, esse crescimento do PL decorreu de três fatores: BNDES passou a pagar aos funcionários o teto de participação equivalente a 3 salários; aumento em 50% no numero de funcionários do banco e criação expressiva de novos cargos em comissão. (explicação incorporada a partir dos comentários ao post original que esclareceram que o aumento do PL dos funcionários não está ligado ao crescimento do lucro do banco).

Resumo da ópera: Por que o Tesouro Nacional deixou que o BNDES ficasse com esse diferencial de juros? Bom, desconfio que a moeda de troca para esse presente dado ao banco é a exigência de maiores pagamentos de dividendos para o Tesouro (ver gráfico abaixo). Agora será que algum economista poderia me explicar como o BNDES aumenta os repasses para o Tesouro que em seguida aumenta a dívida para emprestar mais recursos para o BNDES? Isso é o que se chama de contabilidade criativa — transforma-se uma divida em receita primária.

Pagamento de dividendos pelo BNDES ao Tesouro Nacional – R$ bilhões – 2001-2010

Há como evitar que o BNDES ganhe esse diferencial de juros? A solução é simples. Basta adotar algo semelhante ao que se faz para os bancos regionais que são operadores dos Fundos Constitucionais de Financiamento:

Art. 4o Os saldos diários dos recursos dos Fundos Constitucionais de Financiamento das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, do FINOR, do FINAM e do FUNRES, bem como dos recursos depositados na forma do art. 19 da Lei no 8.167, de 16 de janeiro de 1991, enquanto não desembolsados pelos bancos administradores e operadores, serão remunerados com base na taxa extra-mercado divulgada pelo Banco Central do Brasil. (Lei nº 10.177, de 12.1.2001)

Assim, enquanto o BNDES não emprestasse os recursos repassados pelo Tesouro , a dívida ficaria sendo corrigida pela taxa extra-mercado que equivale a 95% da taxa selic.

O BNDES é um banco importante para o Brasil e para o financiamento da atividade produtiva. Assim, espera-se que a maior parte do lucro desse banco decorra de sua atividade fim que é emprestar para empresas em atividade produtivas e não de aplicações em títulos e valores mobiliários, em especial, aplicações em títulos públicos como parece ser o caso nos últimos dois anos.

48 pensamentos sobre “O excepcional e estranho lucro do BNDES

  1. Mansueto,

    Excelente post mas infelizmente apenas mais um descaminho no trato da coisa pública, envolvendo uma instituição que um dia primou pela excelência de seus quadros técnicos.

    Resumo da ópera: no “faz-de-conta” da contabilidade criativa, todos se locupletam, a saber:

    1. O Governo pois dribla a suposta austeridade fiscal ao repassar recursos do Tesouro para o BNDES e continua gastando à vontade;

    2. O BNDES pois infla seus ganhos artificialmente com o diferencial de juros, ao mesmo tempo mascarando a qualidade da sua carteira de empréstimos;

    3. Os empregados do BNDES que em última instância recebeu um bônus sobre um lucro artificial obtido com os impostos de todos os brasileiros.

    Triste.

  2. Por acaso alguem viu meu nariz de palhaço por ai?
    Se alguem em alguma empresa fizer algum arranjadinho o governo deixa passar?
    Muito esclarecedor este post Mansueto.

    Abs

    Sallas

  3. Mansueto, se vc pesquisar descobre o PL dos funcionários tem teto de 3 salários mensais.

    Sem mt esforço vc liga para um amigo que trabalhe lá e pergunta se o PL dele não foi o mesmo nos últimos anos a despeito do aumento do lucro. Como o do teu amigo, o de todos os funcionários do bndes também foi.

    A diferença de lucro fica na mão do que vc chamou de ‘sociedade brasileira’. Fique tranquilo.

    Falar que os aportes servem para inflar plr de funcionários chega a ser ofensivo.

    • Bom, acho que isso não tem nada a ver com o BNDES. O efeito que o carregamento de titulos teve no lucro não foi culpa dos funcionários do BNDES, mas sim do Tesouro Nacional. Os funcionários do BNDES não concordariam com tal procedimento.

      No caso do limite dos 3 salários, eu sinceramente não sabia e o que soube foi que houve um aumento substancial na reparticipação dos lucros e, que a última parte foi distribuida em março.

      Mas vou checar novamente a informação. Mais uma vez, acho que o erro dessa história não é do BNDES mas sim do Tesouro Nacional. Uma pergunta, não seria possivel que para os salários mais altos esses funcionários tenham tido uma aumento substancial na participação dos lucros e ainda ficariam dentro do limite de 3 salários?

      Por exemplo, o salário no final de carreira do IPEA é um pouco acima de R$ 18.000. O do BNDES deve ser algo parecido ou superior a isso. Assim, 3 salários de participação do lucro seriam R$ 54 mil, o que poderia ter sido superior ao ano anterior. Isso não aconteceu? a repartição de lucro por funcionário foi extamante a mesma do ano anterior?

      • Prezado Mansueto,

        Existe, realmente, um limite máximo de 3 salários para as PLs pagas pelo BNDES aos seus funcionários, mas o DEST vinha impedindo que o BNDES destinasse este valor máximo permitido aos seus funcionários. Ou seja, ao longo dos últimos anos, os funcionários PODERIAM ter ganho 3 salários por ano, mas NÃO GANHARAM. Este redutor vinha sendo de 10%, ao longo dos últimos anos. Ou seja: o pagamento vinha sendo de, no máximo, 2,7 salários. Em 2010, L. Coutinho conseguiu aprovar, pela primeira vez, o pagamento do limite máximo, o que impactou fortemente o montante do valor desembolsado a título de PL. Outro efeito importante, que explica o aumento expressivo, é o aumento do número de funcionários do Banco. No início do governo Lula, o BNDES tinha pouco menos de 2 mil funcionários, e este número permaneceu razoavelmente estável por algum tempo. No entanto, ao longo dos últimos anos, ele cresceu cerca de 50% em relação àquele patamar inicial. E, como se não bastasse o aumento do número de funcionários, Coutinho criou inúmeras Áreas e Departamentos NOVOS, o que deu margem também à criação de dezenas de novos CARGOS em comissão. Como os valores dessas comissões representam um percentual expressivo do salário-base, os novos comissionamentos também impactaram fortemente o valor do desembolso referente à PL.

      • Muito obrigado pelo esclarecimento. Acho que agora está ficando mais claro o destino do aumento do PLR que aparece no balanço do banco. Talvez, o PLr de alguns funcionários tenha aumentado, principalmente aqueles em cargo de comissão, mas muitos não tiveram o aumento expressivo que parecia sugerir o balanço. Obrigado mais uma vez pelos esclarecimentos.

  4. R,

    Você está sugerindo que os funcionários do BNDES não receberam mais participação nos lucros?

    E para onde foram os 156 milhões, quase 2x maior do que a PLR do ano anterior?

    Leo

    • Leo, fácil responder.

      O Manusetto sugere que a PLR individual aumentou. Mas o que aumentou mesmo foi a PLR global; grande parte deste movimento é respondido pelo crescimento do quadro de empregados; outra parte é explicada pelo aumento de cargos comissionados.

      A PLR individual de empregados que não passaram a ocupar cargos comissionados (ou seja, um simples técnico em 2009 que continuou simples técnico em 2010) foi EXATAMENTE a mesma.

      • Na verdade, alguns conhecidos que tenho no BNDES me garantiram que, apesar do teto de 3 salários, o PLR deles aumentou em relação ao ano passado. Mas o nosso amigo abaixo no comentário “esclarecendo” mostra que de fato o grande crescimento no PLR decorreu do pagamento integral do teto que não vinha acontecendo e do aumento do numero de funcionários e do numero expressivo de cargos de confiança na gestão Luciano Coutinho.

        Mais uma vez quero destacar que os funcionários do BNDES não têm absolutamente nada a ver com isso. E o crescimento do numero de funcionários também ocorreu em outros órgãos, inclusive, o IPEA. O meu ponto no post que coloquei foi simplesmente corrigir o erro do lucro com títulos públicos e os pagamentos excessivos de dividendos do BNDES para o Tesouro, ao mesmo tempo em que o Tesouro se endivida para transferir recursos para o BNDES.

        A boa noticia que escutei hoje é que dois senadores a partir da nota do blog já devem entrar com emendas para terminar com a distorção dos títulos públicos: repasses do Tesouro para o BNDES serão remunerados pela taxa SELIC até que os recursos sejam efetivamente desembolsados pelo banco, como hoje ocorre com os recursos dos Fundos Constitucionais de Financiamento e seus bancos operadores (BB, BNB e BASA). A conferir.

  5. Mansueto, nunca me desaponto lendo seu blog. Sempre uma matéria inteligente e bem estruturada. Este artigo em especial é lapidar sobre a administração financeira do país. É uma demonstração da “contabilidade criativa” em ação. Se a gente soma a outros itens onde se aplicou esta contabilidade, o que sobra do orçamento? Vide a manipulação do pré-sal X Petrobrás.
    Pergunto: O governo está deslumbrado pelo volume de recursos a disposição e que estão entrando no país. Perto de hum TRILHÃO de Reais. Os investimentos que estão sendo feitos pelo governo, no entanto, não são investimentos que aumentem o PIB. Trem Bala, Olimpíadas, aviões de caça, etc…Esses recursos irão voltar para seus países de origem. E quando começar a repatriação?

  6. O ponto levantado pelo R (te conheço rapaz!haha) é, de fato, importante. Principalmente porque, se for verdade, como compatibilizar com os dados da tabela 2?
    Porém, é bom que se diga, mesmo que seja verdade que o PL é limitado a três salários, isso não invalida o raciocínio de que os funcionários estão sendo beneficiados pela contabilidade criativa. Afinal, como mostrou o Mansueto, na ausência desse expediente, o lucro teria sido inferior ao dos anos anteriores, e, portanto, o PL teria sido menor que os tres salários.
    Em outras palavras, ainda que os funcionários não se beneficiem integralmente do aumento do lucro, esse garante que o PL atinja seu limite superior, ao contrário do caso em que não existisse a jogada com o Tesouro.
    Portanto, vale dizer, a lamúria do R é descabida (mas ele é assim mesmo), afinal, o incremento do seu PL é feito as expensas da “sociedade brasileira”, não só presente, mas, principalmente, futura.
    Ps.: ele é um bom amigo, pelo menos.

    • É preciso lembrar que a taxa de juros cobrada pelo BNDES veio baixando ao longo dos últimos 8 anos de 5,5% ao ano para 0,9% ano dependendo de algumas condições.
      Vale também ressaltar que a determinação da taxa de juros a ser utilizada tem forte viés de política econômica e não é determinada apenas por critérios técnicos.
      Isto vai de encontro a qualquer especulação quanto a buscar inflar o lucro do banco para beneficiar aos seus funcionários na Participação de Resultados.

  7. Um adendo IMPORTANTE: assim como meu amigo R, nenhum funcionário do BNDES é culpado por isso (a menos daqueles do alto escalão, que tramam essas jogadas).
    Porém (há sempre um porém), caso se sintam ofendidos quando esses fatos são colocados, podem se omitir ou:
    – se declarar contra essa barbaridade ; ou doar o “excesso” do seu PL (quem sabe também os aumentos salariais acima da produtividade, lembrando que os níveis já não têm correspondência com valores de mercado); ou guardar num fundo de previdência para ajudar seus filhos e netos a pagar a conta.
    Em suma, os funcionário não têm culpa, mas caso desejem levantar bandeiras de preocupação social (a principio não há razão para que o façam), então deveriam ter o compromisso moral de não apoiar o que está sendo feito.

  8. Mansueto,

    Então, em resumo: isto tudo é uma desvinculação de receitas que paga pedágio?

    (permitindo ao governo usar os recursos do FAT com os fins que quiser, depois de ser repassado ao tesouro como dividendos do BNDES, mas exigindo o pagamento do PLR)

  9. Daniel,

    Doar a PLR não hehehe

    O prudente é guardá-la, para, caso o país acorde, poder devolvê-la.

    Acho que tem funcionário comum do BNDES tirando 20 a 30 mil.

    Isso é mais obsceno do que no senado.

    • Recomendo ao amigo visitar as duas instituições antes sugerir algo do tipo.

      Os poucos funcionários do BNDES que podem ter salários desse nível com certeza seriam muito melhor remunerados no mercado privado. No entanto usam sua capacidade produtiva (para ter um salário desses, certamente excepcional) para trabalhar para sociedade brasileira.

      • “Os poucos funcionários do BNDES que podem ter salários desse nível com certeza seriam muito melhor remunerados no mercado privado.”

        Pra falar isso você não conhece as instituições. Existem alguns – e não são poucos – funcionários do BNDES que ganham essas quantias e NÃO trabalham. Foi exatamente isso que eu quis dizer, não trabalham. Além disso, existem outros que ganham menos e não trabalham também… Mas tenha em mente que o mínimo que um empregado de nível superior pode ganhar é em torno de 8.000 reais.

    • Leo,

      Vc só esqueceu de mencionar que o senado aprova o próprio salário (simplificando).

      Enquanto os funcionários do BNDES conquistaram seus salários através de anos de negociações salariais conduzidas pela associação de funcionários (antes que alguém fale, eu não sou da associação), sempre evitando as intervenções dos sindicatos (o que colaborou mto com as conquistas).

      Se o sindicato decide o quer na instituição em que você trabalha, sugiro fortemente que vc faça um concurso pro BNDES.

      Se vc seguir minha sugestão, fizer o concurso e passar, vai ver que as pouquíssimas pessoas que ganham mais de R$ 20 mil nessa instituição já estão trabalhando há aproximadamente 30 anos no BNDES e já estão próximos ao último nível do plano de carreira antigo.

      Vai ver ainda que a PLR sempre foi um tapa-buraco do pleito principal dos funcionários, que é a equiparação do salário inicial com CVM, BACEN, SUSEP, etc.

  10. Tem secretária (isso mesmo) ganhando em torno de 25 mil. Tem secretária que ganha mais que o chefe da área, pois a regra salarial de antes era bem mais generosa. Mas isso vai desaparecer com o tempo. FH, menos.

    • O Plano de Cargos e Salário antigo, que foi descontinuado há mais de 15 anos, permitia uma progressão funcional e, consequentemente, salarial mais acelerada e gerava estas distorções.
      Há que considerar a grande maioria de empresas públicas, autarquias e mesmo na administração direta possuíam planos de cargos e salários, mais “generosos” do que os atuais e, assim, não cabe se ater apenas ao caso do BNDES. Na administração direta era comum acumular 2 gratificações (hoje só é possível 1 gratificação) e adquirir o direito de incorporá-las em menos tempo (8 anos contra 10 anos atualmente).

  11. Parabéns, inclusive pela coragem, mais uma vez coloca o dedo na ferida e mostra para todos a tapeação. Se não fosse dinheiro público tudo bem, mas estão abusando. E ainda falam em aumentar a tributação? Aumento de tributos só após ajustarem a política monetária (que eles próprios estão tentando desmoralizar), eliminarem os gastos absurdos (parece até idade média), aí sim, podem pedir um sacrifício com objetivo esclarecido e tempo limitado.

  12. Gostaria de esclarecer alguns fatos:

    1) Esse limite de 3 salários por funcionário da PL existe, porém, cumpre ressaltar que antes era de 2,7 remunerações, tendo subido em 2009.

    2) O aumento dos valores absolutos destinados ao pagamento da PL aos funcionários cresceu em virtude dos fatores já mencionados anteriormente: aumento do número de funcionários; aumento de funções comissionadas (ocupadas por pessoal de carreira) e o próprio aumento do teto individual já aludido.

    Contudo, há uma afirmação que não se sustenta: a PL dos funcionários não aumentou porque o lucro do BNDES aumentou, mas por pressão dos empregados em virtude de um certo distanciamento em relação às carreiras típicas de Estado quanto à remuneração. Se o lucro em vez de R$ 9,9 bilhões fosse de R$ 4,7, por exemplo, o teto de PL teria subido da mesma maneira.

    • Bom ponto Danilo. Acho que agora as explicações estão claras. De qualquer forma, seria interessante descobrir como esse lucro maior se refletiu nas remuneração da diretoria.

      Acho que as explicações foram boas e tudo está mais claro. Obrigado pelas explicações.

  13. a participacao dos funcionarios tem teto de 3 salarios. o lucro nao eh dividido como se fosse um bolo, como vc erroneamente afirma. espero que vc corrija seu artigo.

    • Felipe,

      mesmo com o teto de 3 salários, o PLR individual de alguns funcionários aumentou. Mas como já explicado por outros leitores deste blog. o crescimento do PLR decorreu muito mais do aumento de 50% do numero de funcionários, nos dois últimos anos, e do aumento no número de cargos de confiança. Uma nota de um parágrafo no balanço do BNDES evitaria toda essa confusão. Como o balanço não traz explicação sobre isso, penas o fato do aumento substancial no PLR nos últimos dois anos, o leitor fica sem saber com foi distribuído o PLR. Mas vou sim refazer a nota, destacando o ponto que você levantou e os demais comentários que, para alguns funcionários, o PLR foi o mesmo dos últimos anos.

      • Mansueto,

        cabe ressaltar que, com relação ao aumento de aproximadamente 50% no total de funcionários do BNDES ocorrido nos últimos 4 anos, correspondeu também um aumento no volume de liberações e de operações do BNDES em mais de 300% nos últimos 8 anos.
        Independente da discussão sobre o “tamanho adequado” do BNDES, é evidente que não seria possível atender a esse número de liberações e análise de operações com o mesmo número de funcionários.

      • É isso ai Benedito. O banco com certeza precisaria de mais pessoal para a função mais ativa que se passou a demandar do banco. O IPEA mesmo aumentou acho que por volta de 50% o número de técnicos concursados. O tamanho adequado do BNDES e de vários outras instituições depende do que se demanda dessas instituições e, dada a demanda crescente para o BNDES analisar projetos privados, públicos e coordenar uma série de investimentos seria normal o banco crescer.

  14. Amigão,

    Trabalho no BNDES e não vi esse aumento na PL não. E outra, a PL é em função de indicadores que passam longe do lucro.

    Preste mais atenção no que você escreve, pois você coloca em dúvida a excelência do BNDES.

    Mas não recrimino você não, pois nem todas as pessoas tiveram oportunidade de ter um ensino adequado ou sabem ler e escrever, então não da para esperar que falem coisas corretas mesmo.

    Abraço

    • Engraçado, amigos que tenho no BNDES me confirmaram que o PLR deles aumentou. O problema, como já falei. é que nem sempre as instituições brasileiras procuram esclarecer a opinião pública. como já falei respondendo a comentários anteriores, vou re-escrever a nota mostrado que o motivo do crescimento do PLR foi (1) pagamento integral do teto dos 3 salários; (2) aumento de 50% no numero de funcionários; (3) criação de um número grande de cargos de confiança. Essas informações poderiam estar claras no Balanço, mas “nem todas pessoas tiveram oportunidade de ter um ensino adequado ou saber ler e escrever”.

      Um parte da direção do BNDES e do Tesouro Nacional, acha completamente normal aumentar a divida para emprestar recursos para o BNDES ( ao invés de definir uma fonte de recursos permanente); normal o BNDES comprar dividendos que o Tesouro Nacional tem a receber de outras estatais, participar da capitalização da Petrobrás e ajudar o Tesouro Nacional a transformar uma emissão de divida em receita primária, normal colocar mais de R$ 7 bilhões em uma empresa em um setor no qual o país já tem ampla vantagem comparativa, etc.

      Mas não culpo os funcionários do BNDES por isso. Como já destaquei, o BNDES tem uma das melhores equipes técnicas do governo muito superior ao de vários órgãos públicos. Agora se você acha as operações descritas acima normais, eu sinceramente temo pelo futuro do banco. Quanto a mim, talvez eu seja um péssimo analista e não tenha tido a chance de ter uma boa educação como a que você teve …..

    • Pelo nível do comentário desses indivíduo fico mais preocupado ainda com a situação do banco… Ficou bem claro pra mim quem é que nao sabe ler…

  15. So um detalhe: como o principal produto do BNDES não é o lucro (pois é um banco de desenvolvimento), o lucro não faz parte dos indicadores para a PLR. Portanto, mesmo que o lucro fosse menor não teria impacto no valor a ser recebido pelos funcionários. Os indicadores são outros. O lucro só é levado em consideração para limitar o valor da PLR (outro teto), pois o acordo prevê que a PLR paga aos funcionários não pode ser superior ao pagamento de dividendos ao Tesouro. A conclusão é que mesmo que o lucro fosse de 500 milhões, nao teria qualquer impacto na PLR. Tudo isso pode ser facilmente encontrado no site da Associação de funcionários.

    • Obrigado pelo esclarecimento. Vou procurar no site dos funcionários. Mais uma vez obrigado pelos esclarecimentos. Vou corrigir a nota técnica.

  16. É impressionante ver como os funcionários públicos do BNDES vir aqui racionalizar e justificar o salário que ganham…

    E o papo da secretária ganhando 25 mil?

    Quanto funcionários ganham mais de 20 mil? Ou 30 mil?

    Apesar de não ser o foco da questão, agora fiquei extremamente curioso em saber essas respostas.

    É impossível justificar uma remuneração de 20 mil ou 30 mil (incluindo todos os benefícios) para um funcionário de carreira comum do BNDES.

    • Prezado Carlos,

      Acusar sem prova é grave. Prove que há secretárias ganhando R$ 25 mil.

      E outra, olhe no último edital de concurso para saber qual o salário do BNDES.

      E outra², olhe nessas empresas de headhunter e veja quanto se paga para coordenadores, supervisores, gerentes e executivos. Você verá que R$ 20 mil de salário para empresas de São Paulo e Rio é mais do que normal. É o mínimo que pagam para conseguirem bons profissionais. Se você acha que é muito….

      Solicito que você leia mais e comprove o que você fala.

      • Marcio, você que deveria ler com atenção o que foi escrito. Não foi o Carlos que falou que existe secretária ganhando R$ 25 mil, foi o Daniel, que trabalha no banco. O Carlos apenas levantou a bola novamente.

  17. Mansuetto,

    A rubrica que você observa se deve a venda de títulos e não a valorização destes. Repare que o total de ativos em títulos públicos caiu de 35B para 25B. Se você observar a rubrica “Despesas com operações de repasses e instrumento híbrido de capital e dívida” verá um prejuízo de 12B, o que torna as operações com títulos públicos deficitárias e não lucrativas

    Um diferencial de juros hipotético de 4% (+/-11% de face – +/- 7% de TJLP) geraria no máximo 1B de lucro, considerando os ativos atuais, e ainda se não houvesse custo associado operacional. Isto se os ativos ficassem em posse do banco por um ano completo, o que não é verdade.

    Como o colega acima explicou, a grande fonte de lucro do banco são as participações em renda variável . Cito texto do próprio site do BNDES:

    “Os principais fatores que contribuíram para o desempenho do BNDES em 2010 foram: a Receita com Reversão para Risco de Crédito, de R$ 2,9 bilhões; o crescimento do Resultado com Participações Societárias em R$ 2,2 bilhões (54,4%); e a expansão do Produto Bruto de Intermediação Financeira em R$ 1,2 bilhão (20,9%).” (fonte: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Relacao_Com_Investidores/Desempenho/#lucro2010)

    Apenas para reiterar, a associação do lucro inflado com a PLR dos empregados foi bastante infeliz. Soa como uma apropriação indevida e desmerece o trabalho realizado na casa. Não acho adequada, assim como não pretendo pesquisar quantos artigos relevantes o IPEA publica por servidor e relacionar com seu salário.

    Ressalto que o banco tem diminuído o peso de sua folha com a aposentadoria dos empregados com maiores salários (PDV) o que fez o salário médio do empregado diminuir nos últimos anos. Note-se ainda que a quase totalidade dos cargos comissionados é preenchida por empregados de carreira do próprio banco. Apenas alguns assessores e diretores são externos.

    Antes que alguém insinue, sou concursado de 2009 e não vínculos comissionados com o banco, apenas gratidão e admiração por esta instituição.

    Forte abraço.
    F

    • Funcionário de carreira comum é aquele que ganha apenas “progressão” na carreira (não sei se esse é o termo usado no BNDES), isto é, ele faz exatamente a mesma função, mas vai com o tempo ganhando aumento de salários sem aumento respectivo na complexidade ou responsabilidade de suas atribuições.

  18. Acho que o Mansueto apontou um problema importante: existe um descompasso entre o repasse do Tesouro para o BNDES, e o efetivo emprestimo para as empresas.

    Tal descompasso tem implicacoes financeiras ocasionadas pelo diferencial de juros. Tal como o Mansueto propoe a solucao desse problema eh simples. Acredito ser este o ponto principal do artigo.

    Adolfo

  19. Pingback: Duas matérias de jornais que comprovam teses deste blog « Blog do Mansueto Almeida

Os comentários estão desativados.