Debate: Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial

Seminário 12 de agosto de 2010, 18h30

O BNDES ajudou o país a superar a crise financeira mundial que congelou o crédito à produção partir de 2008. O governo federal tem se endividado em R$180 bilhões em 2009-10 para gerar repasses ao BNDES que dobrou o volume de empréstimos concedidos entre 2007 e 2009, que será aumentado em 2010 graças às novas capitalizações bilionárias do Tesouro. Os impactos fiscal e monetário dos aportes ao BNDES geram um aumento da dívida pública bruta, transferência de renda nos subsídios aos tomadores e a manutenção da Selic em patamares mais elevados por parte do Banco Central. O BNDES também é alvo de críticas por seu potencial para se tornar motor da inflação futura como o foi o Banco do Brasil e sua conta movimento na década de 1980.

Nesse seminário, o economista Mansueto Almeida, um arguto crítico da atuação do BNDES e da política industrial do Governo Federal, debaterá o papel atual do banco com o ex-ministro José Dirceu e com Marcelo Trindade Miterhof, também economista, assessor da presidência do BNDES.

Para se inscrever clique aqui.